• @_partilha

Diga sim a uma vida extraordinária!

O autoconhecimento e o desenvolvimento pessoal como estratégias para alcançar plenitude e felicidade.


Todos nós temos sonhos, projetos, desejos, capacidades e habilidades como também temos medos, inseguranças, dificuldades e frustrações. Somos todos luz e sombra e é o conjunto dessas dualidades que nos tornam seres únicos. É delas que nasce nossa missão na vida já que todos nós temos uma trajetória a cumprir e isso está posto!


Por outro lado, todos nós também temos escolha! Parafraseando o filósofo Sartre, até mesmo quando decidimos não escolher, estamos escolhendo. Portanto, está em nossas mãos decidir qual caminho queremos seguir e como caminharemos em nossa própria existência. Temos a liberdade de, inclusive, escolher o que fazer com essa informação, não é mesmo?!


O fato é que estamos o tempo todo caminhando, mas podemos escolher o caminho mais fácil ou o caminho mais difícil. E, por mais que pareça contraditório, é o caminho mais difícil que nos leva à felicidade. Observe as pessoas à sua volta e perceba aquelas que visivelmente são felizes e realizadas. Preste atenção nas histórias de vida delas e você verá que tiveram uma vida árdua em busca de seus sonhos e na superação de seus desafios. Por outro lado, aquelas que vivem uma vida “morna” parecem, ao mesmo tempo, estar em uma situação de conforto, ou melhor dizendo, em uma situação com ausência de esforço.


Qual caminho você decide seguir? Como quer chegar ao fim dessa travessia? Quer ter a felicidade como diretriz da sua vida ou contenta-se com momentos de alegria? Se a escolha é por uma vida de realizações é preciso construir esse caminho. E a construção se faz também com escolhas diárias. Ao escolhermos ser felizes estamos decidindo diariamente ser pessoas melhores.


Mas como podemos fazer isso? Em primeiro lugar, precisamos nos conhecer. Quem se conhece, se compreende. Quem se compreende, se ama. Quem se ama tem mais facilidade de compreender e amar o outro. Para isso, é preciso encarar nossa luz e nossa sombra de frente! A figura de Michael ilustra bem esse processo. Ao dominar o dragão, que simboliza suas fraquezas, ele o aceita como parte integrante de seu ser, mas não o deixa guiar sua existência.


Para evoluirmos não podemos negar nossas fraquezas, mas sim conhecê-las para dominá-las. E precisamos também conhecer nossas forças, para utilizá-las na luta diária pela felicidade. Conhecendo-nos é possível nos desenvolver. O que também é uma escolha! Há pessoas que preferem ver e viver a vida como na música “Modinha para Gabriela”, interpretada por Gal Costa, que diz: “eu nasci assim, eu cresci assim, vou ser sempre assim” e, desse modo, justificarem suas atitudes do ponto de vista da não-mudança.


Quem quer verdadeiramente ser feliz precisa enfrentar o desafio do desenvolvimento, que, ao mesmo tempo em que exige muito trabalho, cura e liberta! É uma decisão acreditar que posso ser melhor amanhã do que fui hoje. Mas além de decidir, é preciso trabalhar para isso. Marcelo Sales, um empresário inovador na área das tecnologias de informação e comunicação, diz que se você der ao menos um passo, por menor que seja, todos os dias do ano, ao final dele você terá avançado 365 degraus rumo ao seu sonho.


Portanto, o convite que faço a você por meio deste texto é pela escolha do caminho mais difícil – que passa pelo autoconhecimento, desenvolvimento e de muito movimento - e de uma vida extraordinária!


#autoconhecimento #desenvolvimentopessoal #estratégias #felicidade #sonhos

0 visualização

© 2020 by Na Ponta da Língua. Proudly created with Wix.com