• @_partilha

Comunicar bem não é falar bem!

Por que e como se comunicar melhor?


O ser humano é um verdadeiro objeto de comunicação multimídia e deixa sua influência por onde passa pelo que ele é, além daquilo que diz ou escreve - Mário Persona

Não é mais novidade que a habilidade de se comunicar é exigida tanto para o ingresso quanto para a permeância no mercado de trabalho – além, é claro – de ser imprescindível para que tenhamos relacionamentos saudáveis. Se você ainda duvida disso, pare e pense um pouco… Seus últimos problemas de relacionamento tiveram alguma relação, ou até mesmo como causa, um problema de comunicação? Seus feedbacks no trabalho envolvem, em alguma dimensão, alguma dificuldade de comunicação? Pois bem… ela é fundamental para o nosso ser e estar no mundo!

Mas, afinal, o que é comunicação?

Que me desculpem os meus amigos teóricos da linguística, semiótica e afins, mas irei dar uma definição simples do que é comunicar. O ato de comunicar nada mais é que trocar mensagens, estabelecer relações, conquistar objetivos por meio da linguagem. Sei que me comunico bem quando o outro me entende e podemos assim aprender ou ensinar, conquistar metas e/ou ter uma relação harmônica.


Então comunicar-se bem é…

Se fazer entendido. Para isso, é preciso ser claro, assertivo e conhecer seu público. É preciso saber o que quer falar, para quem vai falar, quando e por qual meio irá falar.

Mas atenção: comunicar-se bem não é falar bem!


Muitas pessoas fazem essa confusão. Mas pare e pense! Quantas pessoas você já ouviu falar, teve a impressão de que falavam bem, mas você não entendeu nada?! Se isso aconteceu, houve uma falha no processo e a mensagem não fez sentido para você, o que significa que não houve comunicação. Portanto, falar bem não garante que a pessoa se comunique bem. Ela precisa se fazer entender.


Além disso, precisa-se considerar que há várias formas de comunicar, há várias linguagens. Você precisa se atentar não só para o que fala, mas para a comunicação não verbal expressa em seus gestos, tom de voz, postura…


Eu sou tímido, nunca serei um bom comunicador!

Isso é um mito! Ser comunicativo, definitivamente, não significa ser extrovertido. Faça uma breve revisão mental e liste quantas pessoas extrovertidas você conhece. Agora reflita: quantas delas, de fato, se comunicam bem, se fazem entender, são claras e assertivas? Nossa sociedade criou esse mito de que para ser um bom comunicador é preciso não ter vergonha. Mas não é bem assim! Você que é tímido pode, por exemplo, expressar-se muito bem escrevendo. Ou, ainda, ser super assertivo em uma comunicação pontual em uma reunião. Quem fala demais pode falar o que não deve ou não precisa, pode falar sem ouvir e, por isso, não comunicar. A dica é: planeje sua fala (ou seu texto escrito) e comunique-se. Não deixe a timidez, ou a extroversão, atrapalhar o objetivo de sua comunicação.


Comunicação é uma habilidade e um processo

Assim, concluímos que a comunicação não é um conhecimento, mas sim uma habilidade. É preciso saber fazer. Saber como e quando falar. Saber expressar-se escrevendo. Saber perguntar. Saber ouvir. Para isso, é preciso considerar a comunicação um processo, que envolve quem emite e quem recebe a mensagem, o contexto dela, os canais que serão utilizados e, principalmente, a escuta (e a leitura!). E, se comunicar-se bem é uma habilidade, nada melhor que treinar! Mãos, bocas e ouvidos à obra!

4 visualizações

© 2020 by Na Ponta da Língua. Proudly created with Wix.com