Buscar
  • @_partilha

O profissional do futuro (ou melhor, do presente)


Se, durante a quarentena, você ainda não se perguntou como vai ser o seu futuro profissional, talvez você seja uma das poucas exceções de quem está no mercado ou prestes a entrar nele no próximo ano.


A questão é que já estávamos acostumados com um fluxo de mudanças, sempre soubemos que as coisas mudam e que tudo pode estar diferente de uma hora para outra. Mas, a questão é que nunca tínhamos vivido uma mudança tão brusca e tão radical em um tempo tão curto.


De um dia para o outro estávamos trancados em casa, de uma hora para outra tínhamos centenas de doentes no país e um vírus que viajou o mundo e teve o poder de “congelá-lo” por um tempo. A questão é que de uns tempos para cá, as coisas precisaram ser ressignificadas. Não, as coisas não vão voltar a ser como antes e mesmo que você odeie muito a expressão “novo normal”, chegou a hora de aceitar que sim, ele é real e veio para ficar.


A velocidade da mudança também cobrou de nós uma intensidade de pensamentos muito rápida. Costumamos dizer que o vírus veio como uma lupa para ampliar aquilo que a humanidade precisa melhorar, nossas mazelas, nossos valores e isso em todas as esferas da nossa vida, inclusive a profissional.


Nunca antes o discurso de que habilidades comportamentais são mais relevantes do que as técnicas fez tanto sentido. Destaca-se no mercado, em especial em tempos de crise, aquele que sabe se adaptar às mudanças e às transformações, aquele que tem como ponto forte o autoconhecimento e a inteligência emocional, aquele que é capaz de usar e abusar da criatividade para criar soluções e intervir de modo significativo nas questões que envolvem um novo processo. Interessante que o Fórum Econômico Mundial já previa que essas seriam competências fundamentais para o “futuro”, mas nunca imaginamos que a teoria seria tão prática assim.


Outras competências como agilidade e empatia vêm somando o quadro de habilidades essenciais para quem não quer se perder em meio a crises, mudanças e adaptações que vão acontecer cada vez mais rápido no futuro.


Falar sobre tudo isso é “fácil”, sabemos e entendemos que não dá para olhar só para um lado enquanto a crise acontece, mas sabemos também que você tem e pode escolher como se fortalecer dentro de uma realidade que não é mais passageira. A verdade é que aceitação é uma das competências que vai te fazer estar à frente de milhares de outros profissionais. A verdade é que “não vai passar” e quanto antes você aceitar e se adaptar a isso, menos doloroso vai ser seu processo de valorização dentro do mercado.


Na prática, te convidamos a recolher deste texto pelo menos 5 competências comportamentais, listá-las e refletir sobre o que você reconhece como pontos fortes e fracos do seu jeito de trabalhar, enxergar nelas quais te garantem um lugar no mercado e quais você ainda tem que melhorar.


Seja corajoso, desapegado e criativo. O “mundo novo” tem muito espaço para quem quer aprender a voar!

0 visualização

© 2020 by Na Ponta da Língua. Proudly created with Wix.com